" Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. AI DE MIM SE EU NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO. (I Cor 9,16)

quinta-feira, 14 de abril de 2011

QUAIS OS PREJUÍZOS QUANDO NÃO SE TEM A ORAÇÃO PESSOAL?

Por conseguinte aquele que não reza se priva de todos esses benefícios
espirituais e humanos. Uma vez que a oração nos leva a um encontro com Deus e consigo
mesmo, quem não encontra a Deus também acaba por perder a si mesmo. A falta de oração
deixa o coração fragilizado diante das angústias e problemas da vida. No livro de Jó temos um
testemunho de como a oração é fonte de fortaleza da alma e de firmeza da fé diante das diversas
tragédias que podem acontecer nesta vida. Sem a oração o homem perde o sentido maior desta
vida, e de sua transcendência na direção de Deus. Uma vez que orar é sempre possível, aquele
que não reza perde a oportunidade de direcionar sua vida e os acontecimentos a sua volta,
mesmo os mais trágicos, para Deus e nEle viver a dimensão da aceitação, mesmo quando não é
possível compreende-los. A falta de oração enfraquece a alma humana, e a pessoa que deixa de
rezar se torna mais sujeita a perder o auto-domínio de si mesmo e de seus impulsos, assim quem
não ora se torna mais propenso ao pecado. É muito clara a exortação do Catecismo nº. 2774: “Se
não nos deixarmos levar pelo Espírito, cairemos de novo na escravidão do pecado”. Aquele que
não possui uma vida de oração pessoal certamente se torna mais aberto às seduções desse
mundo e às tentações do mal. Como nos diz Santo Afonso Maria de Ligório: “Quem reza
certamente se salva; quem não reza certamente se condena”. E São João Crisóstomo nos ensina
algo similar: “É impossível que caia em pecado o homem que reza”, o que equivale a dizer que
quem não reza facilmente acabará pecando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário