" Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. AI DE MIM SE EU NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO. (I Cor 9,16)

terça-feira, 5 de abril de 2011

QUAIS OS BENEFÍCIOS E EFEITOS DA ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO?

Adorar Jesus no Santíssimo Sacramento, além de nos encher de alegria, também sentimos
amadurecer nossa união com Ele; somos mais livremente conduzidos à celebração da Eucaristia e
saudavelmente crescemos no amor a Deus e ao próximo. Em outras palavras, essa relação pessoal
com o Senhor favorece um contínuo crescimento na fé e prolonga a graça do Sacrifício Eucarístico
celebrado especialmente no Domingo(Dies Domini). A Eucaristia estimula à conversão e purifica o coração. Reaviva nosso coração e nos impulsiona à celebração da Missa Dominical. O ato de adorar
Jesus no Santíssimo Sacramento nos aproxima de Deus Pai, abre nosso coração para a ação do
Espírito Santo, faz arder nosso coração quando lemos as Escrituras, especialmente os Santos
Evangelhos, impulsiona-nos para irmos ao encontro dos irmãos, especialmente os mais
necessitados, firma-nos como discípulos e nos faz ardorosos missionários. Nosso “encontro com o
Senhor, presente na Eucaristia, amadurece também a missão social, que está encerrada na Eucaristia e deseja romper as barreiras não apenas entre o Senhor e nós mesmos, mas também e, sobretudo, as barreiras que nos separam uns dos outros”(Bento XVI). A adoração ao Santíssimo Sacramento purifica e alimenta a comunhão entre os esposos; tonifica o ministério dos Pastores da Igreja e a
docilidade dos fiéis ao seu magistério; os enfermos experimentam a comunhão com o sofrimento de
Cristo; todos se sentem motivados a buscar a reconciliação sacramental para poderem comungar
com proveito; a comunhão e a unidade são garantidas entre os múltiplos carismas, funções,
serviços, grupos e movimentos no seio da Igreja; todas as pessoas empenhadas nas diversas
atividades, serviços e associações de uma paróquia, são identificadas por atitudes pautadas pelos
valores do Evangelho e por uma espiritualidade de comunhão; e ainda, a adoração ao Santíssimo
sustenta as relações de paz, de entendimento e de concórdia na cidade terrena, entre todos os seres
humanos. “Prostrando-nos diante da Eucaristia, aprenderemos de maneira certa o que significa
comunhão, cultura do diálogo, vida solidária, serviço aos mais necessitados e respeito à dignidade
humana. Graças à iniciativa do Senhor que quis permanecer conosco podemos aprender dele as
melhores lições.
A busca incessante de muitos homens de hoje em responder às suas grandes perguntas não
pode ser desvinculada da fé que nos faz prostrar diante de Jesus “simples” (DIEGO TALES).
Portanto, “Permaneçamos longamente prostrados diante de Jesus presente na Eucaristia, reparando
com a nossa fé e o nosso amor os descuidos, os esquecimentos e até os ultrajes que nosso Salvador
deve sofrer em tantas partes do mundo” (Mane Nobiscum Domine, n.18). No Documento para o
Ano da Eucaristia, Nº 6, encontramos este salutar ensinamento: “A Eucaristia nos torna santos, e
não pode existir santidade que não esteja encarnada na vida eucarística. “Quem come a minha carne viverá por mim” (Jo 6, 57).

Nenhum comentário:

Postar um comentário