" Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. AI DE MIM SE EU NÃO ANUNCIAR O EVANGELHO. (I Cor 9,16)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

O QUE A IGREJA FALA SOBRE A ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO?

A Igreja nos ensina que “A reserva do Corpo de Cristo para a Comunhão dos enfermos criou entre
os fiéis o louvável costume de se recolherem em oração para adorar Cristo realmente presente no
Sacramento conservado no sacrário. Recomendada pela Igreja aos Pastores e fiéis, a adoração do
Santíssimo é uma alta expressão da relação existente entre a celebração do sacrifício do Senhor e a sua presença permanente na Hóstia Consagrada”(cf. De sacra Communione, 79-100; Ecclesia de
Eucharistia, 25; Mysterium fidei; Redemptionis Sacramentum, 129-141). Sobre este ponto assim se
expressa o Romano Pontífice em sua Exortação Apostólica Pós-sinodal, Sacramentum Caritatis, nº
66: “De fato, na Eucaristia, o Filho de Deus vem ao nosso encontro e deseja unir-Se conosco; a
adoração eucarística é apenas o prolongamento visível da celebração eucarística, a qual, em si
mesma, é o maior ato de adoração da Igreja: receber a Eucaristia significa colocar-se em atitude
de adoração d'Aquele que comungamos. Precisamente assim, e somente assim, é que nos tornamos
um só com Ele e, de algum modo, saboreamos antecipadamente a beleza da liturgia celeste. O ato
de adoração fora da Santa Missa prolonga e intensifica aquilo que se fez na própria celebração
litúrgica. Com efeito, “somente na adoração pode maturar um acolhimento profundo e verdadeiro.
Precisamente neste ato pessoal de encontro com o Senhor amadurece depois também a missão
social, que está encerrada na Eucaristia e deseja romper as barreiras, não apenas entre o Senhor e
nós mesmos, mas também, e sobretudo, as barreiras que nos separam uns dos outros”. Portanto,
“O permanecer em oração diante do Senhor vivo e verdadeiro no santo Sacramento amadurece
nossa união com ele: dispõe-nos para a frutuosa celebração da Eucaristia e prolonga as atitudes de
culto por ela suscitadas”(Ano da Eucaristia. Nº 13 - 15 de Outubro de 2004)

Nenhum comentário:

Postar um comentário